Blog Siquim

Reforma da Previdência: Trabalhadores que se aposentarem e seguirem na ativa também serão afetados

23/02/2019 | Sem categoria

Com a entrega do texto da Reforma da Previdência ao congresso Nacional para início dos trâmites normais e legais, e a divulgação da proposta, ponto a ponto, começa a vir à tona os prejuízos que esta mudança irá causar aos trabalhadores, seja do setor público ou privado, seja para homens ou mulheres, atuais contribuintes da Previdência Social, ou para aqueles que ainda vão ingressar no mercado de trabalho, todos, sem exceção, de alguma forma serão afetados.
 
Um dos pontos destacados nesta quarta-feira, dia 20, pelo jornal O Globo em sua página na Internet demonstra que o principal objetivo do Governo com esta Reforma é prejudicar os trabalhadores e beneficiar os grandes empresários, não por acaso os maiores devedores da Previdência. 
 
De acordo com a reportagem, atendendo a uma reivindicação antiga dos empregadores no intuito de enxugar a folha de pagamento, a partir da aprovação da PEC eles não terão mais de recolher os 8% de contribuição referente ao FGTS dos trabalhadores aposentados que continuam na ativa, nem será necessário pagar a multa de 40% sobre o saldo das contas vinculadas ao FGTS em caso de demissão sem justa causa. 
 
A desculpa é que o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço é uma proteção em caso de desemprego, o que não afetaria os trabalhadores aposentados.  Entretanto, sabemos que muitos trabalhadores continuam na ativa mesmo após a aposentadoria não por opção, mas justamente como um complemento de renda, uma vez que o valor do benefício recebido do INSS, na maioria das vezes um salário mínimo, o qual está há anos defasado, nem de longe supre as reais necessidades dos brasileiros.
 
O benefício recebido que representa um alento nesta fase da vida em que os gastos, principalmente na área de saúde aumentam, está sendo colocado em cheque pela falta de sensibilidade de um governo que quer mostrar serviço, fazendo tudo a toque de caixa sem pensar no impacto negativo que essas decisões irão gerar na economia do país.
 
São muitas e polêmicas as regras as quais vamos explanar ao longo dos dias aqui em nossa página. É de suma importância que todos se mantenham informados e unidos para que juntos, trabalhadores, Entidades Sindicais, sociedade civil organizada e parlamentares da oposição possamos engrossar a luta objetivando impedir a aprovação de mais este ataque ao povo brasileiro.
 
Fonte: O Globo

Seja o primeiro a comentar.

Adoraria ler seu comentário aqui!

Responderei assim que possível.

Categorias